Revise coarctação da aorta: transcrição da diretriz européia.


Introdução

A coarctação da aorta é considerada uma doença vascular complexa e não apenas um estreitamento circunscrito da aorta. Ocorre como uma estenose discreta ou como um segmento aórtico hipoplásico longo. A coarctação da aorta está tipicamente localizada na área de inserção do canal arterial e ocorre ectopicamente (aorta ascendente, descendente ou abdominal) em casos raros. A coarctação da aorta é responsável por 5 - 8% de todos os defeitos cardíacos congênitos. A prevalência de formas isoladas é de 3 por 10.000 nascidos vivos.

Diagnóstico

As características clínicas incluem:

  • hipertensão sistólica na parte superior do corpo,

  • hipotensão na parte inferior do corpo,

  • gradiente de pressão arterial entre as extremidades superior e inferior (0,20 mm Hg indica coarctação significativa da aorta),

  • atraso do pulso radiofemoral e colaterais palpáveis.

O ecocardiograma fornece informações sobre local, estrutura e extensão da coarctação da aorta, função e hipertrofia ventricular esquerda, anormalidades cardíacas associadas e diâmetros dos vasos aórtico e supra-aórtico. Os gradientes no Doppler não são úteis para quantificação, nem na coarctação nativa nem no pós-operatório. A ressonância magnética e a TC são as técnicas não invasivas preferidas para avaliar toda a aorta em adultos. Ambos descrevem o local, a extensão e o grau do estreitamento da aorta, o arco aórtico, a aorta pré e pós-estenótica e colaterais. Ambos os métodos detectam complicações como aneurismas, reestenose ou estenose residual. O cateterismo cardíaco com manometria (um gradiente pico a pico de 20 mmHg indica uma coarctação hemodinamicamente significativa da aorta na ausência de colaterais bem desenvolvidos), e a angiografia ainda é o 'padrão ouro' para avaliação dessa condição em muitos casos, antes e após o tratamento operatório ou intervencionista.

Fonte: http://bjcvs.org/article/1262/pt-BR/coarctacao-de-aorta--aortoplastia-com-interposicao-da-arteria-subclavia-esquerda--tecnica-de-teles-mendonca-

Fonte: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2179-83972014000300271

Indicação cirúrgica ou endovascular

Na coarctação nativa da aorta com anatomia apropriada, o stent tornou-se o tratamento de primeira escolha em adultos em muitos centros. A questão de usar stents cobertos ou não cobertos permanece por resolver. Notavelmente, apesar da intervenção, os anti-hipertensivos ainda podem ser necessários para controlar a hipertensão.

Recomendações:

Referência bibliográfica:

Texto realizado, ipsis litteris, da referência "2014 ESC Guidelines on the diagnosis and treatment of aortic diseases; página 2913-2914."

1. Erbel, Raimund & Aboyans, Victor & Boileau, Catherine & Bossone, Eduardo & Bartolomeo, Roberto & Eggebrecht, Holger & Evangelista, Arturo & Falk, Volkmar & Frank, Herbert & Gaemperli, Oliver & Grabenwoger, M. & Haverich, Axel & Iung, Bernard & Manolis, Athanasios & Meijboom, Folkert & Nienaber, Christoph & Roffi, Marco & Rousseau, Hervé & Sechtem, Udo & Kravchenko, I.. (2014). 2014 ESC Guidelines on the diagnosis and treatment of aortic diseases: Document covering acute and chronic aortic diseases of the thoracic and abdominal aorta of the adult * The Task Force for the Diagnosis and Treatment of Aortic Diseases of the European Society of Cardiology (ESC). European Heart Journal. 35. 2873-2926. 10.1093/eurheartj/ehu281.

#coarctacaodeaorta #CoAo #Aorta

Posts Em Destaque
Posts Recentes