Bandagem da artéria pulmonar: como realizar o ajuste?

Atualizado: Ago 12


A Bandagem da artéria pulmonar (BAP) é um técnica paliativa usada em cirurgia cardíaca pediátrica como ponte para correções definitivas. O objetivo primário da BAP é reduzir o excessivo fluxo sanguíneo para o pulmão decorrente de algumas cardiopatias congênitas. A idéia é proteger a vasculatura pulmonar contra hipertrofia e hipertensão pulmonar fixa, além de aliviar os sintomas de congestão.

Apesar da simplicidade do ato operatório, nem sempre é simples estimar o quanto devemos apertar a fita que circunscreve a artéria pulmonar. Apertar demais pode reduzir muito o fluxo pulmonar e gerar instabilidade hemodinâmica e dessaturação. Deixar a banda frouxa pode acarretar em reoperação para um novo ajuste.

Dessa forma, quais são as variáveis objetivas que devem guiar o ajuste da bandagem?


1. Formula de Trusler.


Podemos fazer uma estimativa da circunferência da fita de acordo com a fórmula proposta por Trusler, divulgada em 1972 no artigo "A method of banding the pulmonary artery for large isolated ventricular septal defect with and without transposition of the great arteries", segundo o qual o comprimento da fita seguiria as seguintes diretrizes:


  • Para pacientes com lesões não cianogênicas - sem mistura de sangue venoso com arterial para circulação sistêmica (Ex: CIV) -> 20 mm + 1 mm/kg

  • Para lesões cianogênicas - mistura de sangue venoso e arterial (Ex: TGA com CIV) -> 24 mm + 1 mm/kg


Os 4 mm adicionais de comprimento da banda para os casos de lesões cianogênicas são para previnir o agravamento da hipoxia preexistente, gerada pela mistura do sangue venoso e arterial.

Obviamente a formula de Trusler é apenas um guia, uma diretriz. A análise multifatorial se faz necessário observando parâmetros hemodinâmicos e metabólicos, tais como:

2. Saturação sanguínea / Gasometria

  • Objetivo: 85-90% com FiO2 de 50%

  • Saturação menor é aceitável em paciente com ventrículo único


3. Performance do coração após bandagem


4. Pressão pulmonar distal a bandagem

  • Objetivo: 30-50% em relação a pressão arterial sistêmica.

Referências

  1. http://emedicine.medscape.com/article/905353-treatment#d11

  2. Kirklin/Barratt-Boyes cardiac surgery: morphology, diagnostic criteria, natural history, techniques, results, and indications / Nicholas T. Kouchoukos … [et al.]. – 4th ed.

  3. Sharma R. Pulmonary artery banding: Rationale and possible indications in the current era. Annals of Pediatric Cardiology. 2012


Posts Em Destaque
Posts Recentes