Procedimento híbrido na interrupção do arco aórtico: como é feito na prática ?

Atualizado: Mar 15


Na última postagem do blog falamos um pouco sobre procedimento híbrido na interrupção do arco aórtico, mais especificamente o que é - bandagem dos ramos pulmonares + stent no canal arterial - e quando indicar esse método - paliação para pacientes de alto risco para correção total do defeito. Mas a questão é: como ele é feito na prática ?

Abaixo segue um vídeo de 3 minutos que resume como o procedimento é realizado na prática pelo cirurgião cardíaco pediátrico Daniel Hoyer juntamente com o hemodinamicista pediátrico Carlo Pilla na Santa Casa de Porto Alegre, procedimento este que tive o prazer de acompanhar.

Resumo do Procedimento

  • Etapa cirúrgica:

  • Confeccionar bandas

  • O comprimento das bandas e consequente raio e diâmetro são calculados conforme o peso do paciente.

  • Esternotomia mediana;

  • Pericardiotomia alta em T invertido, o suficiente para expor os vasos da base e o canal arterial;

  • Realizar a bandagem dos ramos pulmonares direito e esquerdo;

  • lembrar que a maioria desses pacientes possuem CIV e dessa forma precisam da bandagem para reduzir o hiperfluxo pulmonar e direcionar o fluxo para a aorta descendente através do canal.

  • A bandagem nunca deve ser feita no tronco pulmonar pois isso irá provocar redução do fluxo para o canal arterial e consequentemente para aorta descendente;

  • Dupla bolsa com fio Prolene 6.0 no tronco da artéria pulmonar.

  • Etapa Endovascular:

  • Cateterização do tronco da pulmonar com introdutor 6-7 Fr.

  • Injeção de contraste no tronco pulmonar por meio do introdutor para estudo da anatomia do defeito.

  • Implante de Stent no canal arterial;

  • O comprimento e diâmetro do stent irá variar conforme a anatomia do canal arterial.

#cardiopatiacongenita #cardiosurgerypost #híbrido #interrupçãodoarco #cardioped #cardiacsurgery

Posts Em Destaque
Posts Recentes