Tratamento cirúrgico de endocardite de prótese pulmonar transcateter Melody®

Atualizado: Mar 15


Aspecto cirúrgico da prótese pulmonar transcateter Melody® acometida por endocardite.

Cirurgia (Relato do caso e vídeo abaixo) realizada pelo Cirurgião Cardíaco Paulo Prates e caso enviado pelo residente do IC-FUC, Iuri Schawaab.

Com o crescente número de intervenções endovasculares nas cardiopatias estruturais, o tratamento cirúrgico de endocardite de prótese pulmonar transcateter pode se tornar cada vez mais frequente no cotidiano do cirurgião cardíaco.

Abdelghani et al, em meta-análise publicada em 2018, demonstrou que a incidência cumulativa de endocardite infeciosa nas próteses pulmonares transcateter, variou de 3,2% a 25%, enquanto a taxa de incidência anual variou de 1,3% a 9,1% por paciente-ano. Os autores concluíram que "o risco de endocardite infecciosa após o implante da válvula Melody é significativo, estendendo-se pelo menos nos primeiros 3 anos após o procedimento" e que "aproximadamente 52% dos pacientes necessitam de reintervenção, cirurgicamente ou percutaneamente".

Dessa forma, parece ser inevitável que além das intervenções transcateter a incidência de reoperações por disfunção (etiologia infeciosa ou não) da prótese se elevem ao longo dos anos. Nesse contexto, o cirurgião cardíaco tem um papel fundamental.

Segue abaixo caso operado pelo Cirurgião cardíaco Paulo Prates e enviado pelo Residente de cirurgia cardiovascular do Instituto de Cardiologia - Fundação Universitária de Cardiologia (IC-FUC), Iuri Schwaab, mostrando o tratamento cirúrgico de endocardite de prótese pulmonar transcateter Melody®.

"Caso muito interessante pra mostrar a dificuldade da intervenção e o papel importantíssimo do cirurgião cardíaco nas doenças estruturais".

Iuri Schawaab

CASO

Paciente de 25 anos, com história prévia de múltiplas intervenções cirúrgicas devido a Tetralogia de Fallot (patologia primária), com indicação de tratamento cirúrgico perante endocardite de válvula pulmonar transcateter Melody®.

  • Antecedentes cirúrgicos:

  • Pós-operatório tardio de Rastelli

  • Stent em artéria Pulmonar em 2012

  • Implante percutâneo de prótese Melody em 2014

  • Implante de CDI/MP.

Time Cirúrgico

Cirurgião: Paulo Roberto Lunardi Prates; Auxiliar: Emma Salazar; Anestesista:​ Paulo Warpechowski; Perfusão: Jéssica Oliveira; Instrumentação: Thami Delfino.

Referência:

Abdelghani, M., Nassif, M., Blom, N. A., Van Mourik, M. S., Straver, B., Koolbergen, D. R., … de Winter, R. J. (2018). Infective Endocarditis After Melody Valve Implantation in the Pulmonary Position: A Systematic Review. Journal of the American Heart Association, 7(13), e008163.doi:10.1161/jaha.117.008163


Posts Em Destaque
Posts Recentes