DERRAME PERICÁRDICO E TAMPONAMENTO CARDÍACO!


  • Principais etiologia:

  • Pericardite infecciosa: viral, tuberculose.

  • Idiopática.

  • Gravidez.

  • Pós-procedimentos invasivos: passagem de marca-passo, estudo eletrofisiológico, biopsia endomiocárdico, intervenções valvares e coronárias percutâneas.

  • Trauma.

  • Desordens metabólicas: Insuficiência renal, hipotiroidismo/mixedema, doença de Addison, cetoacidose diabética, pericardite por colesterol.

  • Pericardite associado a doenças de órgãos adjacentes: IAM (pericardite epistenocárdica), miocardite, dissecção de aorta, infarto pulmonar, insuficiência cardíaca (hidropericárdio), pneumonia.

  • Doenças autoimunes: LES, AR, Esclerodermia.

  • Doença pericardite neoplásica.

  • Tenho que investigar a fundo todo paciente com derrame pericárdico para definir a etiologias?

Não. Em pacientes com derrame pericárdico pequeno, sem repercussão hemodinâmica, sinais inflamatórios ou suspeita de doenças sistêmicas potencialmente tratáveis, a investigação etimológica usualmente não é necessária.

  • Indicações para puncionar derrame pericárdico significativo:

  • Sinais/sintomas de tamponamento cardíaco.

  • Tuberculose.

  • Neoplasia.

  • Pericardite bacteriana.

  • Pacientes HIV+.

  • Na suspeita de etiologia com tratamento específico.

  • Análise do Líquido

  • A avaliação é semelhante ao do derrame pleural sugerindo exsudato:

  • Proteínas no líquido >3g/dL ou proteínas no líquido >0,5. LDH líquido .200mg/dL ou LDH no líquido >0,6.

  • Níveis de ADA >40U/L no líquido pericárdico sugere TB.

  • Cultura para fungos, bactérias e micobactérias, além de PCR.

  • Deve-se também analisar a celularidade, glicose, marcadores tumorais (CEA, AFP, CA19-9, CA-125).

  • Fisiopatologia

  • Acúmulo de líquido -> Aumento da pressão intrapericárdica -> Restrição ao enchimento das câmaras cardíacas -> Diminuição da complacência das câmaras cardíacas -> Redução do enchimento diastólico -> Queda do débito cardíaco e queda da PA.

  • Quadro clínico depende

  • Da etiologia.

  • Da velocidade de acúmulo de líquido no espaços pericárdico.

  • Volemia do paciente (pouca volemia, pouca quantidade de volume intrapericardio pode causar tamponamento).

  • Ex. Pacientes em hemodiálise, uso de diuréticos, perdas sanguíneas.

  • Exame Físico:

  • Taquipinéia com pulmões limpos.

  • Taquicardia.

  • Hipotensão arterial.

  • Abafamento de bulhas.

  • Turgência jugular.

  • Pulso paradoxal ( queda da pressão sistólica>=10mmHg durante inspiração ).

  • Exames complementares

  • ECG: taquipinéia sinusal, complexos QRS de baixa voltagem, com amplitude máxima de 5mm em derivações de plano frontal e 10mm no plano horizontal. Alternância elétrica definida como alteração da amplitude do QRS a cada batimento em decorrência da mobilidade do coração no fluRaido pericárdico.

  • Raio-x: necessário 200ml de derrame para observar no raio-x.

  • Ecocardiograma: aumento das pressões intrapericardicas, colabamento de atrio/ventriculo direito ,dilatação da veia cava inferior com ausência de colapsabilidade >50% e variação do fluxo mitral e tricúspide >40-50%.

  • Tomografia e RMM

  • Cateterismo

  • Tratamento do tamponamento

  • Repouso no leito, monitor cardíaco, oxigênio e acesso venoso.

  • Infusão de SF0,9% EV. Objetivo de aumento da pre-carga, pode elevar as pressões de enchimento e evitar o colapso precoce das câmaras cardíacas.

  • Evitar VNI e diuréticos (reduz a pre carga).

  • Os pacientes betabloqueados podem apresentar deterioração mais precoce, pela perda da taquicardia compensatória que mantem o DC adequado nas fases iniciais.

  • O uso de drogas vasoativoas/ionitrópicos tem pouco benefício.

  • Pericardiocentese percutânea

  • Deve ser realizado com o suo de agulha e fio-guia. Através do acesso subxifoide. A agulha deve ser direcionada para o ombro esquerdo, mantendo ângulo de 30 graus com a pele.

  • Em derrames volumosos, recomenda-se a drenagem lentamente para evitar a síndrome da descompressão aguda do ventrículos direito.

  • Complicações: perfuração miocárdica e das artérias coronárias, embolia de ar, pneumotórax e perfuração de vísceras abdominais e cavidade peritoneal (1,3-1,6%)

https://www.google.com.br/search?q=pericardiocentese&tbm=isch&source=lnms&sa=X&ved=0ahUKEwiMlYKny_TeAhWDgZAKHSU4BPIQ_AUICygC&biw=1440&bih=638&dpr=2#imgrc=K5wgI1xyEfVHOM:

  • Contra-indicações:

  • Pós-operatório de cirurgia cardíaca.

  • Ruptura de parede livre ventricular.

  • Dissecção de Aorta.

  • Derrame loculado (parede posterior).

  • REFERÊNCIAS

  • CARDIOLOGIA CardioPapers; Primeira edição; pág.591-597.

  • Pericardite por Colesterol. Uma Causa Específica, Porém Rara de Doença Pericárdica; Fábio Fernandes; Relato de caso ; Arq Bras Cardiol, volume 76 (nº 5), 391-2, 2001.

  • https://cardiopapers.com.br/quais-os-sinais-ecocardiograficos-de-tamponamento-cardiaco/

#tamponamento #cardiologia #heart #derrame

Posts Em Destaque