top of page

Trombose de prótese valvar



A trombose de prótese valvar é um evento incomum, sendo mais frequente em próteses mecânicas, principalmente em posição mitral. Pode ser assintomática ou se manifestar com síndrome de insuficiência cardíaca, baixo débito e até morte.


O diagnóstico e suspeita usualmente se dão através do ecocardiograma transtorácico, podendo ser confirmado pelo método transesofágico.


O principal complicador da trombose é o tamanho do trombo devido ao risco de embolia e obstrução valvar. Vamos resumir aqui o tipo de tratamento mais adequado de acordo com os sintomas, localização e tamanho do trombo.


Na trombose de prótese sem repercussão hemodinâmica significativa Classe funcional I e II e sem obstrução de fluxo valvar nos exames complementares, é indicada a anticoagulação oral e monitorização ambulatorial com imagem.


No caso de trombo grande (especialmente maior do que 8mm) e/ou trombo móvel, portanto, com elevado risco de embolização, está indicada a internação hospital e anticoagulação endovenosa. Não havendo resolução do trombo com exames de imagem realizados a cada 5-7 dias, ou nos casos onde há comprometimento hemodinâmico mais significativo (classe funcional III e IV), pode ser considerada a fibrinólise e/ou cirurgia.


Fatores que favorecem a fibrinólise: pacientes com alto risco cirúrgico, pacientes com baixo risco de sangramento, acometimento de valvas direitas, primeiro episódio de trombose valvar, trombo menor do que 1 cm2.


Fatores que favorecem a cirurgia: pacientes com contraindicação a fibrínolise, alto risco de sangramento e pacientes com baixo risco cirúrgico, suspeita de pannus associado à trombose e necessidade de outros procedimentos cirúrgicos cardíacos concomitantes.


Recomendação:


Trombólise:

  • Trombose de valvar em câmara direita. IIa B

  • Trombo pequeno (<0,8cm2), NYHA I-III, câmaras esquerdas se persistência do trombo após heparinização endovenosa. IIa B

Cirurgia valvar:

  • NYHA IV, câmaras esquerdas. I B

  • Tombo móvel ou grande (>0,8cm2), câmaras esquerdas. IIa C

Arq Bras Cardiol. 2020; 115(4):720-775


Como realizar a fibrinólise/trombolise?

  • rTPA 10mg em bolus seguido por 900mg em 2 horas OU

  • Estreptoquinase 500.000 UI em 20 minutos, seguido de 1.500.000 UI em 10 horas.


REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

Atualização das Diretrizes Brasileiras de Valvopatias – 2020 , página 759-760.



Commentaires


Posts Em Destaque
Posts Recentes
bottom of page