Canulação transapical: ainda é viável utilizá-la?


Fonte: Atlas of cardiac surgical techniques – A volume in the surgical technique; series 1E 2009; page 21.

Esse texto será mais por curiosidade, visto que é uma técnica muito pouco utilizada.

A canulação transapical é indicado em casos onde a canulação diretamente na aorta é contraindicada, como, por exemplo, em pacientes com aorta em porcelana (imagem 1) ou dissecção da aorta DeBakey I. É pouco utilizada pelo fato de ter maneiras mais simples de permitir o fluxo sanguíneo arterial através de outros sítios de canulação sem “machucar” o coração, como por exemplo canulação artéria subclávia e canulação artéria femoral.

Atualmente uma das poucas indicações para realizar abertura do ápice cardíaco é para realização de implante de valva aórtica transcateter onde outros sítios de punção não são viáveis.

Imagem 1: Retirado do site www.cardiopapers.com.br , podemos ver parte da aorta ascendente e arco aórtico calcificados.

A canulação do átrio deireito deve ser obtida antes da canulação arterial, para dessa forma permitir uma rápida entrada em circulação extra-corpórea após a canulação do ápice cardíaco, visto que a manipulação, causa muita instabilidade no paciente.

Da mesma forma é importante realizar a canulação da veia pulmonar superior direita antes da canulação arterial, dessa forma evitasse mexer/virar o coração após a canulação arterial.

Um jelco 14F é inserido no ápice cardíaco e um fio guia é passado através da valva aórtica com auxilio de um eco transesofágico(ETE) (imagem 2). Embaixo do coração pode-se colocar compressas para estabilizar o ápice. OBS:. Não é necessário predilatar.

Após a certificação que o fio guia atravessou pela valva aórtica (cuidando para não lesar a valva), passa-se a cânula aórtica através do fio guia, novamente certificando-se que está na posição correta com auxilio do ETE.

Não é recomendado realizar as bolsas ao redor da cânula antes de parar o coração devido a friabilidade do tecido, sendo assim, após parar o coração faz-se duas bolsas com fios inabsorvíveis com feltros e após passar os torniquetes.

Após o fim da cirurgia, retirasse a cânula, apertasse as bolsas e se necessário passar cola biológica.

Imagem 2: Atlas of cardiac surgical techniques – A volume in the surgical technique; series 1E 2009; page 21.

Aspecto das bolsas após passage dos pontos com pledgeteds . Implante transapical de valva aórtica: resultados de uma nova prótese brasileira; Gaia F. D.; Rev Bras Cir Cardiovasc vol.25 no.3 São José do Rio Preto July/Sept. 2010

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

  1. https://cardiopapers.com.br/imagens-classicas-em-cardiologia-aorta-em-porcelana/

  2. Atlas of cardiac surgical techniques – A volume in the surgical technique; series 1E 2009; page 21.

  3. Implante transapical de valva aórtica: resultados de uma nova prótese brasileira; Gaia F. D.; Rev Bras Cir Cardiovasc vol.25 no.3 São José do Rio Preto July/Sept. 2010

Posts Em Destaque
Posts Recentes